Encerrado mais um módulo APD

O Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini encerrou nesta sexta-feira (20), mas um módulo do curso Agente Populares de Direitos (APD), do projeto Cidadanear. O evento que aconteceu desde quinta-feira (19), na Câmara de Dirigente Lojistas de São Luís, teve como tema “Extermínio da população infanto-juvenil no Maranhão”.

Uma serie de atividades foram elaboradas para capacitar os cursistas e por se tratar de um tema pesado, os conteúdos expostos foram repassados da forma mais leve possível. Assim a programação dos dois dias foi pautada em dinâmicas que pudessem entreter, envolver e participantes, além de esclarecer o assunto. Para a coordenadora do Projeto Zézé Bacelar, a quanto mais se dinamiza a pratica, mais possibilidades se têm na aplicação desses conceitos nas atividades diárias, pois humaniza ainda mais o tema sensibilizando os dois lados, do educando e do educador.

“A dinâmica favorece o fortalecimento de autoestima de crianças e adolescentes, conhecimento de si e do outro, fortalecimento de relação interpessoais, construção de projetos individuais e coletivos da área infanto-juvenil, com a perspectiva de transformar a realidade de violência em que vivem as crianças e adolescentes de classe popular, com destaque para a população negra”, enfatizou Zezé.

A programação contou ainda com duas exposições dialogadas. A primeira foi apresentada pelo advogado Antônio Pedrosa, que abordou o extermínio de adolescentes e jovens negros. O outro momento a assistente social Alexandrina Abreu dialogou com os cursistas sobre o sistema de garantias de direitos.

O curso Agentes Populares de Direitos é realizado há mais de 10 anos e tem o objetivo de capacitar profissionais e estudantes da área da infância, tal como membros de órgãos públicos e lideranças comunitárias que atendem crianças e adolescentes. Para o educador social Jorge dos Santos, participar do momento foi extremamente válido, pois buscar conhecimento é uma forma de facilitar o trabalho na comunidade. “O curso vem  nos preparar para receber as demandas diárias, e se não estamos preparados não podemos atender a contendo o nosso publico alvo”, afirmou Jorge.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *