Centro de Defesa Pe. Marcos Passerini e Fundação JPA em parceria com o UNICEF promovem encontro online com o poder público para apresentar projetos de enfrentamento à violência na macroregião da Cidade Operária

O Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente Pe. Marcos Passerini (CDMP) e a Fundação Justiça e Paz se Abraçarão (FJPA) em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) realizam nesta sexta-feira (30), às 9h, nova edição do encontro Diálogos Comunidade que Protege.

O evento será online e tem como objetivo apresentar os projetos Comunidade Que Protege, que é desenvolvido na macroregião da Cidade Operária, e Menina Cidadã, que promove o protagonismo de meninas da periferia de São Luís, e seus resultados iniciais aos representantes do poder público. A ideia é que a partir do encontro possam surgir parcerias que promovam políticas públicas para a comunidade.

Os projetos

O projeto Comunidade que Protege é desenvolvido pelo Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente Pe. Marcos Passerini (CDMP) em parceria com a Fundação Justiça e Paz se Abraçarão (FJPA) e com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), na macroregião da Cidade Operária e seu entorno. Tem como foco o enfrentamento aos impactos da violência armada contra crianças, adolescentes e jovens, suas famílias e comunidades. Além da formação de lideranças jovens, que serão multiplicadores do projeto em suas comunidades.

A proposta do projeto inclui também o estabelecimento de uma “sala de situação” no território da Cidade Operária, permitindo à comunidade monitorar sua própria realidade e os impactos da violência, constituindo-se como espaço que congrega crianças, adolescentes, famílias, atores governamentais e não-governamentais para a realização de reuniões, encontros, oficinas e construção de consultas qualitativas.

O projeto Menina Cidadã teve início em dezembro de 2020, e tem como objetivo empoderar meninas da periferia de São Luís para que se tornem protagonistas de suas histórias, possam ocupar os espaços de decisões e sejam agentes de transformação de suas realidades.

Os projetos preveem ações conjuntas em toda a comunidade como oficinas para o fortalecimento das capacidades de resiliência coletiva e individual aos impactos da violência, atuação integrada do sistema de garantia de direitos, produção de informações e encontros comunitários para troca de experiências, formação em saúde mental de crianças adolescentes e suas famílias, inclusão escolar e prevenção à violência de gênero.

O QUE? Diálogos Comunidade que Protege.
QUANDO? 30 de abril de 2021
ONDE? Online (plataforma Zoom)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *